Paco Sedano

Guarda-redes do F.C. Barcelona

Na temporada passada o protagonista da entrevista deste mês juntamente com os seus companheiros do Barça Alusport ganhava o segundo titulo da liga consecutivo para a seção de futsal do clube. Partilhar a baliza com outro grande guarda-redes como Cristian não foi um handicap para eles e complementaram-se perfeitamente para formar um dos pares mais temidos das balizas do futsal espanhol. Além da sua qualidade como jogador, nesta entrevista mostra também o seu lado mais humano.
Nome: Francisco Sedano Antolín.
Alcunha: Paco Sedano.
Data de Nascimento: 2 de Dezembro de 1979.
Lugar de nascimento: Madrid.
Posição: Guarda-redes
 Palmarés
  •  27 internacionalizações
  • Internacional da Seleção Portuguesa Sub-21
  • Internacional da Seleção Portuguesa Sub-23
  • Temporada 2010/2011: Liga.
  • 2 Taças de Espanha (2011 e 2012).
  • 1 “Copa de S.M. el Rey” (2011).
  • 1 UEFA Futsal Cup (2011).
  • 1 Mundial (2004).
  • 1 Europeu (2005).
  • 1 Campeão da “Liga División de Plata” (99/00)
  • 1 Subida à “División de Plata” (95/96).
  • 1 Subida à “División de Honor” (99/00).
  • 1 “Copa Comunidad de Madrid” (2004).
  • Melhor jogador da “Copa Comunidad de Madrid” (2004).
Percurso Desportivo
  • 1998-1999: Autos García Coslada.
  • 1999-2007: PSG Móstoles.
  • 2007-atualidade: FC Barcelona.
 

Como começaste no mundo do futsal?
Comecei com apenas com 4 anos a jogar com os amigos e conciliava o futebol com o futsal até à categoria de juvenil que foi quando me tive que decidir. Joguei nas categorias inferiores do Real Madrid quando era petiz, mas quando cheguei a juvenil fui convocado pela seleção de Madrid de futsal e não podia ter 2 fichas de jogador em desportos diferentes. Cheguei a jogar em 4 ou 5 equipas por ano e depois decidi-me pelo futsal. Como Junior joguei numa equipa de Madrid de primeira divição que se chamava Tapizados Muro e depois assinei pelo Deporcoslada. Com este clube joguei na Primeira Nacional A, subimos à “División de Plata” onde nos classificamos para o Play Off para subir mas não pudemos jogar porque o presidente não pagou à LNFS. No ano seguinte assinei pelo F.S. Móstoles onde conseguimos subir e onde estive 7 anos até que assinei pelo F.C. Barcelona. Para dizer a verdade a minha vida desportiva foi muito intensa.


Lembraste da tua estreia na categoria mais alta?
Sim lembro-me, foi a estréia que qualquer jogador deseja. Jogava com o F.S. Móstoles na Astorga e ganhamos 6-1. Um jogo perfeito. A alegria foi enorme porque nesse jogo estreavam-se vários jogadores do F.S. Móstoles.


Que características consideras fundamentais para ser um bom guarda-redes?
De certeza que cada um terá as sua opinião, mas no meu ponto de vista a regularidade e o facto de ser capaz de transmitir segurança aos companheiros, inclusive quando o guarda-redes tem um dia mau, são características fundamentais para um guarda-redes completo. Depois existem outras mais técnicas, mas que com trabalho se podem melhorar. As que eu estou a comentar normalmente já vêm de série com o guarda-redes apesar de que atualmente já existem métodos para treinar estas características.


Tu como guarda-redes de certeza que terás algum jogador que sabes que sempre te complicará a vida. Quem é?
Varios... Desde o Paulo Roberto, pasando pelo Wilde ou pelo Lenisio. O limones também me marcava muitos golos e existe um que sempre que joga contra mim me marca um golo, Carlos Muñoz (Umacon).


Falamos de companheiros e de treinadores que tiveste ao longo da tua carreira desportiva. Poderias contar-nos quem foi o que mais influenciou na tua carreira e porquê?
Juan Pinés foi o meu treinador quando era Junior e com ele aprendi muitas coisas. O Tino de La Cruz de deu-me muita confiança na “División de Honor” e graças a ele sou “alguém” no mundo do futsal. Do Javier Lozano aprendi muito na Seleção porque trabalhava de uma forma muito diferente à de Móstoles e Marc Carmona que me contratou e confiou em mim no momento mais difícil da minha carreira quando eu estive vários meses sem jogar no Mostoles. Ele teve o valor de me contratar para um projecto tão ambicioso como o que estava a realizar o F.C. Barcelona. De todos eles fico com um pouco de cada que já é muito.


Sempre se falou do aspecto psicológico dos guarda-redes e do que isso influi no próprio rendimento. Tu és dos que pensa assim, tens isso em conta nos teu trabalho diário?
Sim, está claro que um guarda-redes tem que ser psicologicamente forte. É um posto especial porque ou jogas ou não jogas. Tens que estar preparado para entrar quando a tua equipa precisa de ti, já seja em frio ou em quente, e tens que estar preparado mesmo que estejas à muito tempo sem jogar. A oportunidade para um guarda-redes pode chegar a qualquer momento e se jogas também podes cometer um erro e tens que saber recuperar e esquecer esse momento pelo menos durante o jogo. A posição de guarda-redes é a que mais responsabilidade tem, tanto para bem como para mal.


Quanto tempo se trabalha especificamente com os guarda-redes numa equipa profissional?
De certeza que cada equipa terá o seu método, nas minhas ultimas duas temporada tinha 2 ou 3 sessões por semana mais ginásio que também costuma ser um trabalho específico. Sou consciente de que nem todas as equipas trabalham especificamente tantas sessões, mas eu acho que são fundamentais.


Não podemos passar por cima do teu percurso nas ultimas temporadas com a camisola do F.C. Barcelona. Tu és consciente dos problemas existe atualmente neste desporto? Como vês estes problemas quando tens a segurança de estar num clube como o Barça?
Todos os que estamos neste Club sabemos que somos uns privilegiados por estar onde estamos, mas somos conscientes dos problemas do futsal e vivemos os mesmos de perto com amigos e inclusive familiares. Sabemos que um dia não estaremos aqui e que teremos que conviver com esta realidade. É uma pena que este desporto esteja assim, mas estamos num período de crise que afecta a todos os desportos. Logicamente esperamos que a situação melhore com o passar dos anos. Agora temos que apertar o cinto e ter a sorte de que o teu clube te pague. O que está claro é que cada vez mais jogadores pensam na opção de ir jogar para o estrangeiro e isso à uns anos atrás era impensável.


O percurso do F.C. Barcelona nas ultimas temporadas é impressionante. Esteve presente em todas as finais dos torneios que disputou e ganhou quase todas. Estamos perante um clube que fará história como os míticos Interviu, Playas, Talavera,... Quando acabará a sua hegemonia?
Acho que ainda estamos longe desses clubes míticos. Estiveram muitos anos com um grande nível. Nós só estamos à 2 anos e o objectivo é continuar a crescer sem colocar limites. Penso que não podemos comparar, cada clube marcou uma época e todos são clubes míticos.


Passamos agora para um tema mais técnico: material. É verdade que não destacas por usar proteções chamativas, mas podes-nos dizer que proteções usas e porquê?
À uns anos atrás não usava nada mas depois de vários golpes e bursites mudei de opinião e agora uso cotoveleiras, joelheiras e caneleiras. A marca das caneleiras não me importa muitos, mas a das joelheiras e caneleiras sim. À muito anos que jogo sempre com a mesma marca e sinto-me muito confortável principalmente para proteger a bursites nos cotovelos, as queimaduras nos joelhos e possíveis lesões nas canelas.
Estamos quase a acabar. Que procura o Paco Sedano numa sapatilha de futsal? O que é que deve ter uma sapatilha para que se sinta confortável com elas?
Pelo meu estilo de jogo gosto de movimentar-me pelo campo e não estar limitado à área da baliza. Além disso, gosto muito de jogar com os pés e sempre que posso e que o jogo o permite gosto de usar o jogo de pies. Por isso gosto que a sapatilha seja confortável principalmente quando tenho que movimentar-me em campo ou rematar a bola.


Antes de terminar esta entrevista queremos fazer a pergunta obrigatória a todos os protagonistas que passam por esta secção: Conhecias a Soloporteros Sala? Que opinião tens?
Já a conheço à muitos anos e quando a conheci chamou-me muito a atenção porque não existia até esse momento nenhuma loja especialista em guarda-redes. Encontrar material para guarda-redes era sempre problemático e é uma opção espetacular para os que somos guarda-redes. Têm tudo!


Por último queríamos pedir-te que dedicasses umas palavras aos nossos seguidores que tenho a certeza que vão adorar esta entrevista.
Um abraço a todos e como imagino que a maioria dos leitores são guarda-redes só que dizer que apesar de ser uma posição muito complicada com muito trabalho sempre chegam as recompensas. Animo a todos, que os guarda-redes estamos sozinhos e temos que nos apoiar uns ao outros pois só nós nos entendemos. Um abraço muito grande para todos e obrigada pela entrevista!

PENALTIES

Um pavilhão de futsal:O Soto de Móstoles e o Palau Blaugrana

Um modelo de sapatilha: Munich Gresca Excel.

Um guarda-redes de futsal: Jesús Clavería.

Um jogo: Final mundial China-Taipei e afinal UEFA Futsal Cup en Lleida.

Uma mania que tenhas antes ou durante o jogo:Vestir a camisola com a fotografia da mina filha.

Um treinador:  Tino de la Cruz.

Uma cidade: Móstoles, Barcelona.

Uma comida: Tortilha de batata.

Um filme: Amigos Improváveis

Comentários 0

Queres deixar aqui a tua opinião?
Entra com a tua conta de utilizador para participar na nossa comunidade.